Por Falta “De Definição De Rotas” Taxistas Aumentam Doses De Preços

Por Falta

O drama de “apanhar um táxi” na cidade capital, em tempos da SARS-COV-2 tornou-se “osso duro de roer” pois que muitos Taxistas aproveitam-se da situação.

Basta olhar nas paragens de táxi “que o drama se instala” para conseguir chegar na hora certa em casa ou no trabalho.

Maria João pede que o estado deve fiscalizar as rotas “que muitos Taxistas fazem das suas”

“Quem saí de Viana para congoleses no período de manhã é obrigado apanhar três táxis, ou quatro, por causa da especulação de preços e vias curtas” Disse.

Um outro passageiro Francisco Manuel conta que em tempos da doença “muitos estão se aproveitando do povo que já não tem nada”

Manuel Lamentou “a falta da fiscalização de quem é de direito que nesta hora, deveriam estar com o povo que sofre”

Já o Presidente da ANATA Francisco Castro Paciente Esclareceu que a especulação de preços deve-se ao tempo que os “Taxistas estão obrigados a pararem de trabalhar, e a exigência da conta dos patrões”

Também assegurou que a falta de definição de rotas, que até agora ninguém diz nada, “e faz ser razão da especulação de preços”

“Se houvesse definição de rotas às especulações não seria tanto assim” Assegura

No final pede que os associados parem de especular o preço de táxi, “devemos parar com essa especulação, sei que está difícil” Apelou